Hoje é o dia seguinte após três dias seguidos de desintoxicação ingerindo somente sucos verdes. Kalina e eu decidimos encarar o desafio por motivos semelhantes e completamos a jornada com opiniões complementares. Entender o processo e ponderar os objetivos é vital para transformar o jejum em uma experiência construtiva.

Nós temos uma rotina saudável. Todos que nos acompanham diariamente sabem do esforço que empregamos neste sentido. Acordar cedo, suco verde, exercício físico, contato com a natureza, café da manhã reforçado, home office - que para nós significa trabalho intenso, leve, criativo e produtivo - alimentação caseira, natural e balanceada, muita água e chá, pouco trânsito, mais tempo juntos e hobbies para desestressar. Em meio ao nosso cotidiando desvairado, não é fácil adotar tais hábitos. Mas se, de certa forma, não nos intoxicamos diariamente, então porque desintoxicar?

Antes de compartilhar nosso parecer, que fique bem claro: o termo detox, no universo da alimentação, é uma farsa. O termo foi surrupiado e, no contexto correto, significa o controle medicinal da dependência química de drogas. De qualquer forma, há uma onda de programas de detox chegando ao Brasil - importada dos EUA - que prometem livrar o seu corpo de todas as toxinas que você ingere com produtos industrializados e aquele almoço fast-food-rápido. Desintoxicar o corpo é um conceito errôneo, criado por marqueteiros competentes. Não há qualquer indício científico que aponte que qualquer programa de desintoxicação promova a descarga de toxinas incrustadas em nossas células. Na verdade, nossos órgãos são tão evoluídos que já fazem isso automaticamente.

Um simples advento que nos livra de todos nossos pecados alimentares - é ótimo pensar que existe nas prateleiras, mas infelizmente, não há.
- Dara Mohammadi

Há, contudo, um lado psicológico que são esquecidos nas pesquisas científicas.

Nossa sociedade moderna tem um relacionamento conturbado com a comida. Nossos antepassados passavam mais tempo caçando e correndo atrás de seus alimentos do que comendo. Nós passsamos muito mais tempo sentados e ingerimos muito mais calorias. A cultura imediatista das cidades afeta a todos nós de maneiras diferentes. Alguns estão obesos, alguns subnutridos, muitos tem distúrbios psicológicos alimentares. Se você acha que isso não lhe afeta, pare e pense quantas vezes não descontou sua ansiedade com a comida. Um chocolate, uma pizza ou aquele churrasquinho. Ah, não esqueçam que a bebida alcoólica também entra nessa conta. Reavaliar nosso relacionamento com nossos alimentos é um passo essencial para promover o autoconhecimento. E foi exatamente por isso que nos sentimentos atraídos a seguir um programa de desintoxicação.

Nós do comTijolo acreditamos na desintoxicação mental.

Três dias inteiros sem comer e sem mastigar é uma quebra de paradigma de uma vida inteira. Quantas vezes você, caro leitor, já o fez? A mudança de hábito repentina por si só já traz inúmeras descobertas. Se você programa seu cérebro para o desafio, não vai ficar com fome. O corpo se adapta. Os sucos verdes contêm tantos nutrientes que muitas vezes seus níveis de energia serão maiores que os normais. Nós dois percebemos uma melhoria em nosso foco durante o trabalho e também tivemos um sono mais profundo durante o processo. Você percebe que alguns sintomas de sua saúde - como a acidez gastrointestinal que venho combatendo há anos - podem ser, de fato, psicossomáticos e, você pode, com treino e devidas medidas, ter controle total do seu corpo.

Explorando um lado mais intangível, algo ainda mais interessante aconteceu comigo durante esses dias. A abstinência de comidas sólidas fez meu cérebro expelir pensamentos negativos mais antigos. Acredito que isso tenha acontecido devido a uma memória registrada em meu corpo em algum momento de ansiedade descontada com a ingestão desnecessária de algum alimento. A quebra do fluxo constante de ingestão e digestão, deu ao meu corpo, literalmente, uma folga para a autopurificação.

Não há pesquisa científica que comprove que programas detox como o que fizemos promova a desintoxicação de nosso corpo. Contudo, também não há pesquisa científica nenhuma que estude os benefícios intangíveis alcançados por tais experiências. O segredo, para nós, parece ser a intenção. Se você quiser experimentar um caminho semelhante ao que percorremos, para promover o autoconhecimento e controle do próprio corpo, ótimo. Se é para se desintoxicar do porre que tomou durante o carnaval, melhor deixar para o próximo carnaval.