Meninas, não contentem-se.

Eu estou cansado de vê-las sofrendo nas mãos de caras errados. E eu, como homem, decidi que era hora de falar. Sempre pensei, desde garoto, que queria ser o melhor que eu pudesse para ser uma boa companhia para seja lá quem fosse a mulher ao meu lado. E eu continuo tentando, todos os dias, ser o melhor que posso ao lado da Kalina. Eu fico enfurecido ao ver meninos que se dizem homens, brincando com os sentimentos de gente grande. Para cada mulher bacana existem dez caras sacanas. Mas acreditem, ainda tenho amigos homens que se preocupam. Poucos, mas existem. Por isso, não contentem-se. Afinal, do que vale uma companhia se ela não lhe serve como de fato, uma companhia? Não contentem-se em andar com apenas um boneco ao seu lado. Não contentem-se em ter alguém que não consegue olhar nos seus olhos e dizer o que sente, verdadeiramente. Não contentem-se com alguém que não tem coragem de lhe puxar para uma dança, em uma festa, ou mesmo na sala de estar. Não contentem-se com aqueles que chegam do trabalho cansados demais para qualquer outra coisa. Você vale bem mais do que um pagamento no final do mês. Não contentem-se com o sujeito que prefere sentar no sofá, tomar uma cerveja e assistir futebol, do que sair para um passeio no parque. Não contentem-se em cozinhar para quem não tem ao menos a decência de pôr a mesa e perguntar como foi o seu dia. O papel do homem num relacionamento, é exatamente o mesmo que o seu papel. Não contentem-se com o desequílibrio. Não contentem-se com uma conversa superficial, sem sentimentos. Até mesmo um cachorro é capaz de mostrar o que sente. Não contentem-se com sequer o menor vestígio ou sinal de superioridade. Nós não fazemos absolutamente nada melhor que vocês - só de formas diferentes. Não contentem-se com aquela história mal contada. Em um relacionamento, não há maior virtude que a transparência. Não, não contentem-se. Vocês já não são, afinal, apenas meninas. Vocês são mulheres, e tem o mundo todo nas suas mãos. Não contentem-se.