cardápio verde, laranja e rosa

ser esponja

Regular sam 3172

sucos para levar nas garrafas que adquirimos durante as férias

O Marcos já compartilhou a nossa experiência sensorial do programa de sucos. A ideia do programa de três dias de detox que fizemos foi inspirado na experiência de um casal de amigos. Eles decidiram mudar os hábitos alimentares para ter uma melhoria no estilo de vida. Fizeram o mesmo detox que experimentamos durante três dias e depois disto balancearam a alimentação até hoje, dois meses depois, entre sucos e alimentos sólidos. O que nos chamou mais atenção na experiência deles foi a perceptível mudança no apetite. O paladar ficou mais aguçado e as escolhas mais seletivas. Ficamos curiosos. Eles por sua vez se inspiraram em um documentário que assistiram, conhecido como Fat, Sick and Nearly Dead. Um obeso que passa sessenta dias tomando sucos para se alimentar melhor, perder peso e recomeçar uma vida para o corpo. Pesquisamos um pouco mais a fundo, escolhemos três dias que se encaixariam bem em nossas rotinas, montamos o cardápio e fomos ao mercado. De preferência deve-se optar por frutas e vegetais orgânicos. No caminho para casa pegamos emprestada uma centrífuga da mãe do Marcos para seguir o programa ao pé da letra.

O “3 day quick start reboot” (um rápido recomeço de três dias) do Joe:

Os dias sempre começam com um copo (250ml) de água morna com limão e gengibre opcional.
Durante o dia é recomendada a ingestão de muita água para manter o corpo bem hidratado e não exagerar nas atividades físicas, pois ele precisa de energia para processar as novas informações. No site do programa existem opções para cada refeição e substituição de ingredientes. Vale a pena dar uma olhada na lista para entender as similaridades dos alimentos e aos poucos fazer suas próprias composições.

Montamos os nossos dias assim:

dia 01:

7h
carrot-apple-lemon
(serve duas porções de aproximadamente 500ml para cada)
4 maçãs
4 cenouras
2 limões

ao longo da manhã, um copo de água de coco.

12h-13h
garden variety
(duas porções)
4 maçãs
4 pepinos
16 folhas de couve (colocamos um pouco menos, pois as nossas folhas são maiores do que as americanas)
2 mãos cheias de salsa

15h-16h
australian gold
(uma porção)
½ abacaxi médio
1 pimentão amarelo
1 limão
2.5cm de gengibre fresco

19h-20h
green lemonade
(duas porções)
2 maçãs
4 mãos cheias de espinafre
16 folhas de couve
1 pepino
4 talos de salsão (aipo)
2 limões

22h30
just beet it
(uma porção)
2 beterrabas (pequenas)
2 peras
1 pepino
2.5cm de gengibre fresco

dia 02:

7h
peach or pear pie
(uma porção)
1 batata doce (crua)
2 pêssegos maduros (ou, se não for a época, duas peras podem substituir)
1 maçã
1 1/3 copos (aproximadamente 150g) de bullereis
uma pitada de canela

água de coco durante a manhã.

12h
green lemonade
(duas porções)
2 maçãs
4 mãos cheias de espinafre
16 folhas de couve
1 pepino
4 talos de salsão (aipo)
2 limões

15h-16h
mexi cali
(uma porção)
2/3 de um abacaxi médio
1 maçã verde
1 lima
½ jalapeño
1 mão pequena de coentro (substituimos por salsa)

19h-20h
joes mean green
(duas porções)
16 folhas de couve
2 pepinos
8 talos de salsão (aipo)
4 maçãs
1 limão
5cm de gengibre fresco

dia 03:

7h
un beet able
(duas porções)
2 beterrabas
6 cenouras
2 maçãs
15 folhas de couve
5cm de gengibre fresco

água de coco

12h-13h
joes mean green
(duas porções)
16 folhas de couve
2 pepinos
8 talos de salsão (aipo)
4 maçãs
1 limão

15h-16h
australian gold
(uma porção)
½ abacaxi médio
1 pimentão amarelo
1 limão
2.5cm de gengibre fresco

20h
sopa de abóbora com gengibre
e biscoitos de arroz sem glúten.

O quarto dia levamos uma alimentação ainda mais leve do que de costume, para que o corpo se acostumasse aos alimentos mais sólidos.

Regular sam 3155

café da manhã, almoço e lanche da tarde

Regular sam 3137

dia 01: água morna com limão e gengibre, e café da manhã

Regular sam 3151

no dia 02 guardamos o bagaço que utilizamos depois para fazer um pão

você se transforma

criar contexto, pensar acordado

Regular c

hoje, no trânsito, sorrindo pelos acontecimentos do dia

Conversando com pessoas aleatórias, notamos uma constante insatisfação com o trabalho escolhido. Diálogos que começam assim: “como você está? e o trabalho?” e terminam com: “estou bem, infelizmente trabalhando muito!”. e sempre ficamos com aquela resposta em nossas mentes: “infelizmente?”

Na maioria das vezes quem escolhe o trabalho que faz parte da nossa rotina diária somos nós mesmos. Optamos por trabalhar em algum lugar, ou para nós mesmos, e nos adaptamos facilmente a rotinas novas. Quando trocamos de emprego queremos algo ainda melhor, que se encaixe nos nossos gostos e desejos para o futuro. Em que momento nos sentimos infelizes com aquilo que escolhemos? O que muda? O trabalho? Nós? Os sonhos?

O Marcos e eu também tivemos este momento. Ele trabalhava em duas empresas simultaneamente, desenvolveu uma gastrite de tanto absorver os problemas dos outros e se alimentar de quantidades anormais de café. Em algum momento percebeu que aquilo não era para ele e o corpo estava avisando. Ele é uma pessoa prática neste sentido, e que, quando a vontade de fazer algo surge, ele faz! Saiu dos empregos e decidiu se jogar em uma rotina de estudos para tornar as vontades dele em realidade. Estudou! E estudou! Mais de 14 horas por dia na frente do computador. Foi persistente, aprendeu e hoje, dois anos depois desta fase, está trabalhando com um sócio em um co-working e com projetos interessante batendo à porta. Aos poucos as coisas vão se alinhando e tomando forma.
Por outro lado, mais ou menos na mesma época, eu estava abrindo o meu escritório de arquitetura com um sócio. As coisas começaram bem e logo o dinheiro era o foco dele, e não necessariamente o meu. Paralelamente, como uma forma de fuga, investia mais tempo nas minhas artes, construindo um portfólio e indo atrás de potenciais clientes. Isto parece apontar o caminho que tomei de forma óbvia, mas foi um pouco mais complicado do que isto. O meu corpo me avisou e eu demorei para entender. Ele ficou pior e eu cada vez mais infeliz. Tudo vira uma bola de neve e se projeta para outros fatores da vida. O relacionamento com a família, o relacionamento com o Marcos. Eu me afogava no meu próprio desespero e respirava apenas com o nariz para fora. Não sou tão prática e direta como o Marcos (estou aprendendo com ele) e custei a perceber, ou melhor, a admitir, em voz alta que queria mudar. Os caminhos se cruzam, se alinham, nos mostram de uma forma ou de outra aquilo que nos deixa feliz. Não busque entender o que é a felicidade e sim as pequenas coisas que te deixam feliz. Elas te mostrarão o caminho de forma mais natural.

Estar com os amigos te deixa feliz? Ajudar alguém te deixa feliz? Viajar te faz sorrir? Ir a exposições te inspira? São os pequenos detalhes que ditarão a sua vida. Foque naquilo que deixa a sua alma leve. Foque em melhorar ainda mais as suas qualidades e não a mudar ou tentar entender as suas fraquezas. Elas se desenvolverão naturalmente. No que sou bom? Em ouvir? Em falar? Em gritar? Em apresentar? Em arrumar? Em produzir? Faça uma lista das coisas que você faz bem. Está com preguiça de escrever (ok, pode não ser o seu forte, assim como não é o meu)? Ligue para um amigo com quem se sinta à vontade de falar sobre o momento que está passando. Com a ajuda dele/a, converse e peça ajuda para entender aquilo que você faz de melhor e o que são os seus defeitos? No final, faça uma nota mental para deixar estes defeitos de lado e focar naquilo que é natural para você. Isto te mostrará o que poderá te trazer mais prazer na vida.

É o que te fará sorrir ao estar sentado no carro, sozinho, dirigindo em uma cidade como São Paulo, na hora do rush e depois de uma chuva. E o que te fará rir, ao estar nesta situação caótica e ainda precisar ir ao banheiro. Há dois anos atrás eu estaria com raiva, provavelmente gritando para sairem da minha frente, embora ninguém pudesse ouvir, buzinaria para aquele imbecil que tentou entrar na minha frente sem dar a seta e chegaria em casa descontando tudo isso nas pessoas que estavam sempre ao meu lado e querendo o meu bem. Você está feliz no seu trabalho? Com a sua escolha profissional? Não? Faça algo a respeito. A sua vida está acontecendo agora, e não no futuro, quando a conta estiver com mais dinheiro, quando você puder ser promovido (talvez) para um cargo superior, quando puder ter uma vida estabelecida para fazer mudanças e ai então, um dia, largar o emprego e abrir o próprio negócio. Sim, o dinheiro é importante, então guarde-o. Se tem um trabalho que traz um retorno financeiro, faça um pacto com você mesmo para guardar parte dele. Esta parte não pode ser tocada, nem para comprar uma coxinha no lanchinho da tarde. Repita esta atitude durante algum tempo e verá que tem uma capacidade incrível para guardar dinheiro. Ai então tome uma posição e viva o agora e não o talvez algum dia!

É difícil? Não necessariamente! Você vai querer desistir em algum momento? Provavelmente! Existe uma fórmula certa? Não! Você precisa de um talento? Todos temos algum talento! Você será um unicórnio colorido e saltitante todos os dias e todas as horas porquê gosta daquilo que faz? Jamais! A vida tem altos e baixos, você sempre terá aquelas coisas que gosta mais e outras que menos. Em qualquer profissão você terá que lidar com pessoas diferentes, com pessoas difíceis, com números, contas e com a sua capacidade de guardar dinheiro (pelo menos no começo). Mas no final das contas a resposta da balança deve ser: “Estou ótimo e feliz que estou trabalhando muito!”

Regular 90950 do what you love

simples assim? para nós parece que sim.

detox mental

ser esponja

Regular sam 3154

café da manhã, almoço e lanche da tarde

Hoje é o dia seguinte após três dias seguidos de desintoxicação ingerindo somente sucos verdes. Kalina e eu decidimos encarar o desafio por motivos semelhantes e completamos a jornada com opiniões complementares. Entender o processo e ponderar os objetivos é vital para transformar o jejum em uma experiência construtiva.

Nós temos uma rotina saudável. Todos que nos acompanham diariamente sabem do esforço que empregamos neste sentido. Acordar cedo, suco verde, exercício físico, contato com a natureza, café da manhã reforçado, home office - que para nós significa trabalho intenso, leve, criativo e produtivo - alimentação caseira, natural e balanceada, muita água e chá, pouco trânsito, mais tempo juntos e hobbies para desestressar. Em meio ao nosso cotidiando desvairado, não é fácil adotar tais hábitos. Mas se, de certa forma, não nos intoxicamos diariamente, então porque desintoxicar?

Antes de compartilhar nosso parecer, que fique bem claro: o termo detox, no universo da alimentação, é uma farsa. O termo foi surrupiado e, no contexto correto, significa o controle medicinal da dependência química de drogas. De qualquer forma, há uma onda de programas de detox chegando ao Brasil - importada dos EUA - que prometem livrar o seu corpo de todas as toxinas que você ingere com produtos industrializados e aquele almoço fast-food-rápido. Desintoxicar o corpo é um conceito errôneo, criado por marqueteiros competentes. Não há qualquer indício científico que aponte que qualquer programa de desintoxicação promova a descarga de toxinas incrustadas em nossas células. Na verdade, nossos órgãos são tão evoluídos que já fazem isso automaticamente.

Um simples advento que nos livra de todos nossos pecados alimentares - é ótimo pensar que existe nas prateleiras, mas infelizmente, não há.
- Dara Mohammadi

Há, contudo, um lado psicológico que são esquecidos nas pesquisas científicas.

Nossa sociedade moderna tem um relacionamento conturbado com a comida. Nossos antepassados passavam mais tempo caçando e correndo atrás de seus alimentos do que comendo. Nós passsamos muito mais tempo sentados e ingerimos muito mais calorias. A cultura imediatista das cidades afeta a todos nós de maneiras diferentes. Alguns estão obesos, alguns subnutridos, muitos tem distúrbios psicológicos alimentares. Se você acha que isso não lhe afeta, pare e pense quantas vezes não descontou sua ansiedade com a comida. Um chocolate, uma pizza ou aquele churrasquinho. Ah, não esqueçam que a bebida alcoólica também entra nessa conta. Reavaliar nosso relacionamento com nossos alimentos é um passo essencial para promover o autoconhecimento. E foi exatamente por isso que nos sentimentos atraídos a seguir um programa de desintoxicação.

Nós do comTijolo acreditamos na desintoxicação mental.

Três dias inteiros sem comer e sem mastigar é uma quebra de paradigma de uma vida inteira. Quantas vezes você, caro leitor, já o fez? A mudança de hábito repentina por si só já traz inúmeras descobertas. Se você programa seu cérebro para o desafio, não vai ficar com fome. O corpo se adapta. Os sucos verdes contêm tantos nutrientes que muitas vezes seus níveis de energia serão maiores que os normais. Nós dois percebemos uma melhoria em nosso foco durante o trabalho e também tivemos um sono mais profundo durante o processo. Você percebe que alguns sintomas de sua saúde - como a acidez gastrointestinal que venho combatendo há anos - podem ser, de fato, psicossomáticos e, você pode, com treino e devidas medidas, ter controle total do seu corpo.

Explorando um lado mais intangível, algo ainda mais interessante aconteceu comigo durante esses dias. A abstinência de comidas sólidas fez meu cérebro expelir pensamentos negativos mais antigos. Acredito que isso tenha acontecido devido a uma memória registrada em meu corpo em algum momento de ansiedade descontada com a ingestão desnecessária de algum alimento. A quebra do fluxo constante de ingestão e digestão, deu ao meu corpo, literalmente, uma folga para a autopurificação.

Não há pesquisa científica que comprove que programas detox como o que fizemos promova a desintoxicação de nosso corpo. Contudo, também não há pesquisa científica nenhuma que estude os benefícios intangíveis alcançados por tais experiências. O segredo, para nós, parece ser a intenção. Se você quiser experimentar um caminho semelhante ao que percorremos, para promover o autoconhecimento e controle do próprio corpo, ótimo. Se é para se desintoxicar do porre que tomou durante o carnaval, melhor deixar para o próximo carnaval.

Regular sam 3101

lavando frutas e vegetais para o detox

Regular sam 3151

bagaço dos sucos do dia

Regular img 5855

antes do almoço no trabalho

posts recentes

illustrations by kaju.ink
piece of cloud by AEROGAMI