Ele acha que ela é uma fruta suculenta em meio a um jardim em decomposição, mas continuam discutindo o tempo todo. Combate a acidez do típico paulistano enquanto tenta administrar os seus instintos primitivos de correr pelado pelo mato. Vive o cotidiano com um pensamento enraízado no design: constrói, descontrói, forma e desforma, preto no branco com colorido. Criou em casa um laboratório de desenvolvimento de novos serviços, de nome AEROGAMI , onde tenta conquistar o mundo todos os dias, com ou sem feira. Em paralelo, tem vontade de ler e escrever sobre tudo que está a sua volta, mas promete que não vai escrever só sobre ela por aqui.